Cinecartaz

António Carvalho

A Escolha do Rei

Não há trama suficiente para um filme de uma hora quanto mais para um com mais de duas. O espectador vai sendo anestesiado pela lentidão narrativa até ao alheamento ou quiçá ao adormecimento total. Incompreensível a cena final que nada acrescenta a não ser minutos.

Publicada a 23-05-2017 por António Carvalho