Cinecartaz

Francisco Zuzarte

Se tivesse ficado calado mais tinhas visto mais …

… diz Jack Sparrow ao seu companheiro de infortúnio, quando no bote para onde são empurrados, a donzela resolve tirar o vestido, ficando com o que na altura não se via ou não era suposto ver em público, leia-se roupa interior ”decente” mas mostrava, imagine-se, o tornozelo.
Depois há mais uma meia dúzia de graçolas que se perdem no meio de um filme que para quem o vai ver à espera do espírito agridoce em que o primeiro foi concebido e conseguido, sai com a sensação de que comeu uma sopa de ninhos de andorinha sem sal.
Johnny Depp anda pelo filme a passear num estilo de quem já ganhou as eleições, por isso qualquer performance serve para agradar.
Cabe a Javier Bardem o papel de vilão, que o desempenha bem mas com muito CGI à mistura, tal como de resto o filme que até peca por ter planos que gerados em CGI, as escalas não são respeitadas.
Agora não sei se pior ou melhor, no fim da ficha técnica, que ninguém vê porque sai tudo da sala a correr deixando os baldes vazios de pipocas e refrigerantes ou nas cadeiras ou no chão, sobretudo pipocas, há uma cena que indicia mais uma saga.
A ver vamos.

Publicada a 02-06-2017 por Francisco Zuzarte