Cinecartaz

Ramiro Esteves Ferreira

Big Brother

Filme muito atual que aborda a invasão de privacidade, a manipulação e o controlo das pessoas a um nível absolutamente perturbador e as suas implicações na vida de todos.
A ideia de todos estarmos ligados - que já acontece - é desenvolvida e aprofundada de uma forma que, pessoalmente, me deixou atordoado e asfixiado com o cenário que nos é apresentado nesta película.
O Circulo é uma empresa de software, comparável à Apple ou à Microsoft, com um líder ao estilo de Steve Jobs, interpretado por Tom Hanks que, fora do seu registo habitual, está bem na personagem que encarna. A jovem Mae, interpretada por Emma Watson é uma funcionária de call center a quem é dada a possibilidade de ir trabalhar para a referida empresa, na qual a concepção de vida pessoal é no mínimo estranha, embora, mais uma vez, não esteja muito longe do que se passa hoje em dia. Depois do entusiasmo e fascínio iniciais, Mae começa a ter sinais de que as coisas não são tão perfeitas como imaginava e, a partir daí, começa um deslindar de brechas deixadas pelos dois sócios do Círculo, num frenesim de acontecimentos que envolvem a própria família e a sua privacidade.
O filme está bem feito e aborda estas questões de forma pertinente, embora não tenha gostado particularmente do final.

Publicada a 02-05-2017 por Ramiro Esteves Ferreira