Cinecartaz

JOSÉ MIGUEL COSTA

4 estrelas

"Paula Rego, Histórias e Segredos" é um documentário convencional (e simples) com uma estratégia algo pedagógica e uma linha narrativa cronológica (que abarca os últimos 60 anos da vida da jovial pintora octogenária, desde o período em que deu os seus primeiros passos na londrina Slade School of Fine Art até ao presente), que intercala imagens de arquivo de filmes caseiros e fotografias, inúmeras entrevistas a terceiros e conversas íntimas com a protagonista.

Portanto, estruturalmente não é minimamente original, no entanto, e apesar disso, acaba por revelar-se uma obra de excepção tocante e até visceral. Possivelmente, devido à forma como a Paula Rego se "despe" de quaisquer tabus perante o realizador (o filho, Nick Willing), expondo-nos, de um modo genuíno e deliciosamente "ingénuo", o mais íntimo de si, quer a nível artístico quer pessoal (se é que estas dimensões alguma vezes são indissociáveis).

Estes segredos revelados sobre a sua intimidade (os episódios recorrentes de depressão, a relação complexa com o marido, os inúmeros casos extraconjugais, os problemas financeiros) não são mencionados por pura "devassa", mas como veiculo para entrarmos no universo fantástico/"fantasmagórico” da pintora, todo ele povoado pelo "perverso" e pelas histórias de (des)encantar. Aliás, estes são imprescindíveis para que consigamos percepcionar de forma mais objectiva as suas (magníficas) criações, até porque ficamos a perceber que a sua obra "mais não é" que uma série de "grafismos" que caricaturam as suas histórias pessoais (e dos quais a artista se serve como meio catártico de exorcizar os seus demónios, já que tem dificuldade em exprimir-se pela "palavra").

Publicada a 16-04-2017 por JOSÉ MIGUEL COSTA