Cinecartaz

JayLo

Bilhete Postal do Porto

Os diálogos estão ao nível de um compêndio de aprendizagem de inglês do ciclo preparatório.
Maus actores, mau texto, argumentozinho pop, sexo muita giro, e uns tácitos e subreptícios postais do Porto. Aliás, o filme é tão do Porto, que a acção se poderia passar em qualquer outro sítio... Faz-nos quase conjecturar que o filme se chama Porto porque a Turismo de Portugal assim quis. Uma trama deste tipo, passar-se-ia em qualquer ponto do globo, de Kinshasa a Amareleja.
Nota Extra: uma saudação especial a todos os críticos que, colocando este filme na gama de filmes passíveis de consumo, contribuem para a gaulização do centro das nossas cidades que, passo a passo, se tornam as nossas pequenas Venezas, impossíveis de comportar para o comum português. Obrigado ao LMO e ao JL da concorrência por contribuírem para a aglomeração de portugueses em Rio de Mouro e Ermesinde.

Publicada a 29-10-2017 por JayLo