Cinecartaz

Arménio C. Almeida

Filme excelente!

Acabo de assistir ao filme e quero dizer que é IMPERDÍVEL. Esta mania, instalada por intelectualoides snobes, de que o cinema português é medíocre acaba por ser arrasada por filmes como este. Vivi o tempo colonial, vivo em Angola e li o livro de Henrique Abranches no qual se inspira o filme, que tem a inteligência de não pretender caractetizar nenhuma das épocas nem de seguir a ficção daquele escritor angolano. O filme cria dois contextos históricos que sustentam uma estória, onde se cruzam personagens, geografias, cores, cheiros, ideologias, afectos e comportamentos que não deixam espaço para dúvidas, mas que permitem ao espectador ir além do que vê. Uma bela fotografia, uma trilha sonora muito envolvente e um olhar muito atento de um autor que se move confortavelmente naquela realidade africana resumem o que é este filme. Olhar para as outras culturas a partir de valores que não são universais é um dos maiores erros das críticas "especializadas". O filme podia estar construído de outra forma? Podia. Algum "crítico" tentou perceber as opções do realizador? Talvez não. OK, não está dentro dos padrões europeus ou de Hollywood, já é fraco. Pois eu o achei GENIAL! Tudo!
A crítica dos críticos vale o que vale. E a opinião do público espectador, os consumidores do filme, não deve ser menosprezada como se fossemos todos uns iletrados ou atrasados mentais incultos. Eu dou 5 estrelas ao filme e ACONSELHO VIVAMENTE a que o vão ver! É um filme diferente, é um filme inteligente, onde a metáfora nos desafia ao exercício da descodificação

Publicada a 21-04-2017 por Arménio C. Almeida